O que você está procurando?

  • América-MG
  • Athletico-PR
  • Atlético-GO
  • Atlético-MG
  • Avaí
  • Botafogo
  • Ceará
  • Corinthians
  • Coritiba
  • Cuiabá
  • Flamengo
  • Fluminense
  • Fortaleza
  • Goiás
  • Internacional
  • Juventude
  • Palmeiras
  • Red Bull Bragantino
  • Santos
  • São Paulo
  • Bahia
  • Brusque
  • Chapecoense
  • CRB
  • Criciúma
  • Cruzeiro
  • CSA
  • Grêmio
  • Guarani
  • Ituano
  • Londrina
  • Náutico
  • Novorizontino
  • Operário Ferroviário
  • Ponte Preta
  • Sampaio Corrêa
  • Sport
  • Tombense
  • Vasco
  • Vila Nova

Copa do Mundo

Título da Argentina encerra maior jejum sul-americano na história da Copa do Mundo

Jogadores comemoram título da Argentina na Copa do Mundo
Divulgação/Copa do Mundo

Título sobre os franceses veio apenas nos pênaltis

A Copa do Mundo de 2022 acabou, e foi com título da Argentina. Nos pênaltis, os hermanos superaram a Seleção Francesa após um empate em 3×3 na prorrogação. E, com isso, a Albiceleste encerrou um jejum de 36 anos sem títulos argentinos e 20 anos sem títulos sul-americanos.

O jejum argentino

Esse foi o 3º título da Argentina na Copa do Mundo. Nos tempos de Diego Maradona, os hermanos foram campeões mundiais em 1978 e 1986. Depois, o time bateu na trave em 1990 e em 2014, ambos para a Alemanha, inclusive. Até ali, Germânicos e Porteños somavam dois títulos cada, mas os europeus chegaram ao quarto antes mesmo do tri da Albiceleste.

Assim, o time argentino se isola como 4ª maior campeã da Copa do Mundo, atrás de Brasil (5), Itália e Alemanha (4). Com isso, os hermanos deixam Uruguai e França para trás, além de Inglaterra e Espanha, que só têm uma taça. Entre o bi e o tri, a Argentina esperou 36 anos, superando os 24 que o Brasil levou do tri para o tetra e os 20 entre as duas taças uruguaias.

O jejum latino

Além das 3 taças argentinas, os sul-americanos também somam mais 7 títulos, com Brasil (5) e Uruguai (2). A última conquista da Conmebol datava de 2022, quando os brasileiros superaram a Alemanha na decisão da Copa do Japão e Coreia do Sul. Curiosamente, os sul-americanos venceram em ambas as oportunidades com Copa na Ásia.

Mas foram quatro Mundiais seguidos com título europeu: Itália (2006), Espanha (2010), Alemanha (2014) e França (2018). Assim, a Conmebol, que tinha vantagem de 9×8 nos títulos do Mundial, levou a virada para 12×9. Agora, a desvantagem cai para 12×10 e a Europa seguirá com vantagem até, pelo menos, a Copa de 2030.

Assim, o intervalo entre o penta do Brasil e o tri da Argentina levou 20 anos, igualando o intervalo entre os dois títulos uruguaios, em 1930 e 1950. Mas os celestes tiveram só duas Copas do Mundo de intervalo, já que o Mundial não aconteceu em 1942 e 1946, por causa da II Guerra Mundial.

Clique aqui para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Mercado

Atacante de 33 anos estava no futebol chinês O atacante Henrique Dourado tem um novo clube para a sequência da sua carreira. Nesta terça-feira, o...

Flamengo

Treinador argentino evita falar em reforços e garante foco em recuperar time na La Liga e Champions League O técnico Jorge Sampaoli tem o...

Mercado

Peruano terá 1ª experiência no país O dia está agitado para o Racing Club. Depois de garantir o título da 1ª edição da Supercopa da...

Futebol

Último clube do treinador foi o Atlético-GO, em 2020 Após três anos longe da área técnica, o treinador Cristóvão Borges está de volta ao futebol....