O que você está procurando?

  • América-MG
  • Athletico-PR
  • Atlético-GO
  • Atlético-MG
  • Avaí
  • Botafogo
  • Ceará
  • Corinthians
  • Coritiba
  • Cuiabá
  • Flamengo
  • Fluminense
  • Fortaleza
  • Goiás
  • Internacional
  • Juventude
  • Palmeiras
  • Red Bull Bragantino
  • Santos
  • São Paulo
  • Bahia
  • Brusque
  • Chapecoense
  • CRB
  • Criciúma
  • Cruzeiro
  • CSA
  • Grêmio
  • Guarani
  • Ituano
  • Londrina
  • Náutico
  • Novorizontino
  • Operário Ferroviário
  • Ponte Preta
  • Sampaio Corrêa
  • Sport
  • Tombense
  • Vasco
  • Vila Nova

Copa do Mundo

A vitória do Brasil na Copa de 70: o que foi aquela final eletrizante

A Vitória Do Brasil Na Copa de 70: O Que Foi A Eletrizante Final

De todos os cinco Mundiais conquistados pela Seleção Brasileira, talvez nenhum tenha tanto encanto quanto o de 70. Para muita gente, o melhor time que o Brasil já teve. Por isso, contar a história daquela Copa e da final significa reviver o auge do futebol nacional.

A Copa de 1970 foi disputada no México, de 31 de maio a 21 de junho. Ao todo, 16 seleções participaram do Mundial, sendo 9 europeias, 5 americanas, 1 asiática, além de 1 africana.

Antes de falar sobre o desempenho do Brasil, é importante lembrar que a Seleção chegou à Copa de 70 com certa desconfiança da torcida brasileira. Afinal, quatro anos antes, a equipe fracassou na Inglaterra.

No Mundial de 1966, o Brasil foi eliminado ainda na primeira fase, mesmo com Pelé e Garrincha. Naquela Copa, a Seleção estreou vencendo a Bulgária por 2 a 0, mas depois perdeu para Hungria (3 a 1) e Portugal (outra vez 3 a 1). Terminou na 11ª colocação.

Para completar, o time passou por uma troca de técnico de última hora. Mesmo tendo liderado a Seleção em uma atuação brilhante nas Eliminatórias, com 100% de aproveitamento, o jornalista João Saldanha foi demitido do cargo. Portanto, para o lugar de Saldanha, foi anunciado o nome de Zagallo.

Seleção teve estreia arrasadora na Copa de 70

A arrancada do Brasil na Copa de 70 foi brilhante. Logo na estreia, em Guadalajara, a equipe goleou a Tchecoslováquia por 4 a 1. A Seleção fez 1 a 0 com Rivelino logo aos 11 minutos de jogo. Mas ainda no primeiro tempo, aos 24 minutos, sofreu o empate.

A goleada foi construída no segundo tempo. Pelé desempatou aos 14 minutos. A partir daí, só deu Brasil. Jairzinho fez o terceiro aos 16 e o quarto aos 37 minutos. O segundo jogo, outra vez em Guadalajara, foi bem mais complicado para a Seleção Brasileira. O adversário desta vez era a Inglaterra, que quatro anos antes, em casa, conquistou seu primeiro e até então, último título mundial.

O Brasil venceu o jogo por 1 a 0 com um dos gols mais bonitos da Copa de 70: Aos 14 minutos do segundo tempo, Pelé recebeu passe de Tostou e rolou a bola para Jairzinho estufar a rede.

O terceiro e último jogo do Brasil na primeira fase foi contra a Romênia, novamente em Guadalajara. O jogo foi mais difícil do que se imaginava. A Seleção abriu 2 a 0, com gols de Pelé, aos 20 minutos do primeiro tempo, e de Jairzinho, aos 22. Contudo, aos 33, a Romênia diminuiu.

No segundo tempo, Pelé fez o segundo dele e o terceiro do Brasil, aos 22 minutos. A Romênia voltou a diminuir, aos 38. Mas o placar ficou mesmo 3 a 3 para a Seleção, que terminou a primeira fase com oito gols marcados e três sofridos.

Brasil passou por dois sul-americanos antes da final

A fase seguinte à de grupos foram as quartas de final. E o adversário do Brasil foi o Peru. A Seleção, no entanto, impôs o melhor futebol e venceu o duelo em Guadalajara por 4 a 2. O primeiro gol saiu logo aos 11 minutos e foi marcado por Rivelino, após receber passe de Tostão.

O Brasil já fazia 2 a 0, desta vez com Tostão, 4 minutos depois. Aos 28, no entanto, um susto: o Peru descontou. Mas logo aos 7 do segundo tempo, o Brasil fez o terceiro, outra vez com Tostão. Dois minutos depois, o peru diminuiu outra vez. Coube a Jairzinho fazer o quarto, aos 31, após receber lançamento de Rivelino, para garantir o Brasil na semifinal.

O jogo que decidiu uma vaga para a final foi disputado contra o Uruguai, em Guadalajara. Após 20 anos do “maracanaço”, o fantasma de 50 parecia de volta quando o Uruguai abriu o placar, aos 18 minutos. A resposta da Seleção Brasileira demorou pra acontecer. Mas, aos 44 minutos, Clodoaldo deixou tudo igual.

No segundo tempo, o que parecia um jogo duro virou passeio brasileiro. Jairzinho e Rivelino marcaram para o Brasil, aos 31 e depois aos 44 minutos. Assim, o Brasil voltava à final da Copa após oito anos.

Final da Copa de 70 entrou para a história do futebol

A decisão da Copa de 70 foi disputada no dia 21 de junho daquele ano. O palco da final foi o histórico Estádio Azteca. O adversário era a poderosa Itália, naquela época bicampeã mundial, assim como o Brasil. A equipe campeã seria a primeira tricampeã da história. A expectativa pelo duelo era tamanha que o jogo reuniu 107.412 torcedores.

A primeira final de Copa do Mundo exibida em cores pelos aparelhos de TV ficou marcada por uma das maiores apresentações de uma seleção mundial da história. O Brasil venceu a Itália por 4 a 1 e encantou o mundo com um futebol que reunia habilidade e coletivo.

Seleção venceu todos os seis jogos do Mundial

O primeiro gol da final foi marcado por Pelé, aos 18 minutos de jogo. Mas não foi um gol qualquer, e sim o 100º da Seleção Brasileira em Copas do Mundo. A Itália, contudo, empatou aos 37. Mas o susto durou pouco. O baile brasileiro estava guardado para o segundo tempo. Aos 21 minutos da segunda etapa, Gérson colocou o Brasil em vantagem outra vez.

Logo depois, aos 26, o Brasil fez o terceiro. Uma verdadeira obra-prima. Gérson fez um lançamento que atravessou o campo. Pelé só ajeitou a bola de cabeça para Jairzinho, que não desperdiçou. Foi o 7º gol do atacante naquele Mundial, que conseguiu a proeza de marcar ao menos uma vez em todos os seis jogos. Assim, ganhou o apelido de “furacão” da Copa de 70.

O golaço para a história

Mas havia espaço para mais em seguida. Um gol antológico. Aos 41 minutos do segundo tempo, Tostão deu início a uma jogada que teve a participação de metade do time. Ele tocou para Piazza, que passou para Clodoaldo e lançou para Pelé. O maior jogador de todos os tempos tocou para Gérson, que devolveu para Clodoaldo.

O camisa cinco driblou quatro jogadores antes de acionar Rivellino na esquerda. Rivellino lançou Jairzinho, que acionou Pelé. Em um lance genial, Pelé rolou a bola para a direita bem devagar. Por ali estava, livre, Carlos Alberto Torres.

O capitão do time, chutou forte para fazer o quarto gol brasileiro. A goleada colocou a Seleção Brasileira, definitivamente, em um patamar superior no futebol mundial.

Clique aqui para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Futebol Internacional

Curtis “Toyz”, campeão do Worlds com a Taipei Assassins em 2012, foi preso acusado de tráfico de drogas no Taiwan

Série B

Um dos maiores campeonatos de eSports do mundo, no Warzone é palco de diversos casos de hackers, sendo um deles até o campeão

Futebol Internacional

A desenvolvedora do jogo Riot Games anunciou novas medidas de penalidades para jogadores AFK nas partidas de LoL

Futebol Internacional

Cotada como underdog, a EDG venceu a favorita DWG por 3-2 e faturou seu primeiro título mundial na final mais assistida da história