Outros esportes

No último dia da natação, Brasil conquista ouro histórico e fecha com 25 pódios

Guilherme Costa se tornou 1º nadador a fazer ouro nos 400m, 800m e 1.500m do Pan O Brasil fechou com […]

Guilherme Costa na prova dos 1.500m da natação nos Jogos Pan-Americanos

Sátiro Sodré/CBDA

Guilherme Costa se tornou 1º nadador a fazer ouro nos 400m, 800m e 1.500m do Pan

O Brasil fechou com chave de ouro a sua participação na natação dos Jogos Pan-Americanos de Santiago. Nesta quarta (25), os nadadores brasileiros entraram na piscina para mais quatro pódios, com direito ao 4º ouro de Guilherme Costa, primeiro nadador a vencer as quatro provas mais longas do Pan, e à 4ª medalha do jovem Guilherme Caribé, que fez a melhor marca da sua carreira nos 100m.

Nadador Guilherme Caribé comemora ouro no Pan-Americano Santiago 2023
Baiano Guilherme Caribé, de 20 anos, fecha Pan com três ouros e uma prata – Sátiro Sodré/CBDA

As provas da natação

A 1ª medalha do dia veio logo na final que abriu a tarde. Nos 1.500m femininos, Viviane Jungblut chegou a liderar nas primeiras parciais, mas ficou com o bronze. Ela completou a prova em 16:19.89. O ouro foi dos EUA, com Rachel Stege, que quebrou o recorde pan-americano com 16:13.59, virando nos últimos 50m sobre a chilena Kristel Köbrich, que ficou com a prata com 16:14.59. Beatriz Pimentel chegou em 5º.

Nos 200m medley femininos, dobradinha para o Canadá, com Sydney Pickrem quebrando o recorde pan-americano com 2:09.04, seguida pela compatriota Mary-Sophie Harvey. A estadunidense Helen Noble fechou o pódio. A brasileira Gabrielle Roncatto, bronze nos 400m medley, fechou em 7º lugar.

A disputa masculina dos 200m medley teve mais medalha para o Brasil. Leonardo Coelho bateu em 2:00.58 e garantiu a medalha de bronze. O ouro foi do canadense Finlay Knox, com 1:58.74, enquanto o estadunidense Arsenio Bustos garantiu a prata, com 1:59.89.

E a última disputa masculina também trouxe medalha para o Brasil. Depois do ouro nos 400m livre, nos 800m livre e nos 4×200 livre, Guilherme Costa, o Cachorrão garantiu sua 4ª vitória em Santiago. Dessa vez, a conquista foi nos 1.500m livre, com 15:09.29, mais de 3s à frente do estadunidense John William Gallant. O bronze foi do venezulano Alfonso Mestre. O brasileiro Pedro Farias terminou em 4º, enquanto Alexander Steverink foi o 8º.

Nos revezamentos, a jornada brasileira não começou bem. Nos 4x200m medley femininos, o Brasil ficou em 5º, com ouro para o Canadá, prata para os EUA e bronze para o México. Mas a redenção veio no masculino, com a 4ª medalha de Guilherme Caribé em Santiago. Prata para o Brasil, com 3:35.12. O ouro foi dos EUA, com 3:33.29 e o Canadá levou o bronze.

Natação no Pan-Americano

Com essas últimas conquistas, o Brasil fechou sua participação nas piscinas de Santiago com sete ouros, sete pratas e 11 bronzes, somando 25 medalhas. O quadro de medalhas da natação foi liderado pelos EUA, com 19 ouros e 46 medalhas, seguido pelo Canadá, com 11 ouros e 25 medalhas ao todo.

O desempenho em Santiago acabou sendo inferior aos resultados brasileiros no Pan-Americano Lima 2019, quando o país conseguiu 11 ouros, nove pratas e 12 bronzes. Naquela edição, porém, o time canadense veio muito desfalcado, com um nível competitivo bem maior nesta edição dos jogos. Na história do Pan, o Brasil soma 59 ouros, 59 pratas e 84 bronzes na natação.

Guilherme Costa comemora medalha no Pan-Americano Santiago 2023
Guilherme Costa fechou o Pan-Americano com quatro medalhas de ouro – Sátiro Sodré/CBDA

Mais notícias e informações quentinhas sobre o Pan-Americano e outros esportes você vê no Jogo Hoje

COMPARTILHE

Bombando em Outros esportes

1

Outros esportes

F1: na Ferrari a partir de 2025, Lewis Hamilton quer repetir trabalho de diversidade feito na Mercedes

2

Outros esportes

Tênis: João Fonseca vence chileno, avança às quartas e faz história no Rio Open

3

Outros esportes

F1: equipes iniciam pré-temporada com testes no Bahrein

4

Outros esportes

NBA: LeBron James revela que aposentadoria “está chegando”

5

Outros esportes

F1 e FIA se posicionam sobre caso Horner, chefe da RBR investigado por ‘conduta imprópria’