Outros esportes

Com ouro de Samanta Soares, Brasil alcança sua melhor campanha na história do judô no Pan-Americano

Judocas ainda voltam ao tatame para disputa por equipes na terça (31) Chegaram ao fim as disputas individuais do judô […]

Judoca Samanta Soares em luta dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023

Gaspar Nóbrega/COB

Judocas ainda voltam ao tatame para disputa por equipes na terça (31)

Chegaram ao fim as disputas individuais do judô nos Jogos Pan-Americanos de Santiago e o Brasil subiu ao pódio mais três vezes. O único ouro do dia foi de Samanta Soares (foto), no -78kg. O Brasil também subiu ao pódio com a prata de Rafael Macedo (-90kg) e os bronzes de Kaio Santos (-100kg), Beatriz Souza (+78kg) e Rafael “Baby” Silva (+110kg). Assim, o país fecha as disputas individuais com 15 medalhas entre os 19 judocas que foram ao Chile.

Ao todo, a campanha teve sete ouros, duas pratas e seis bronzes. Sendo o melhor desempenho do país em toda a história dos Pans, superando os seis ouros ganhos em Guadalajara 2011. Desde 2003, a campanha brasileira sempre oscilou entre quatro e seis ouros, números também alcançados em 1987 e 1979. E o número ainda pode melhorar, já que o Brasil disputa as equipes mistas nesta terça-feira (31).

Judoca Kayo Santos em luta dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023
Pernambucano Kayo Santos foi mais um campeão no Pan da Juventude de 2021 a subir no pódio do judô em 2023 – Gaspar Nóbrega/COB

As lutas do judô

O Brasil foi representado por duas jodocas no -78kg. Eliza Ramos caiu nas logo oitavas, contra Sairy Colon (POR). Mas Samanta Soares teve um destino melhor. Ela estreou nas quartas, com Ippon sobre Lianet Cardona (CUB) e passou por Vanessa Chala (EQU), também com um Ippon. Na ela final, enfrentou Sairy Colon e conseguiu um Wasa-ari no meio da luta e foi o suficiente para o ouro.

Na categoria -90kg, Rafael Macedo começou a jornada nas quartas, com vitória sobre Carlos Paez (VEN) com dois Wasa-aris em 1:36. Depois, o Ippon da semi foi mais rápido ainda, com 41 segundos de luta contra Robert Florentino (DOM). Na final, contra Ican Silva (CUB), o brasileiro escorregou em um golpe, caiu com a cabeça no chão e perdeu a luta por Hansoku-make, ficando com a prata.

Também foram dois brasileiros no -100kg, com o jovem Kayo Santos e o experiente Leonardo Gonçalves. Kayo estreou nas oitavas com Ippon contra Alexis Esquivel (MEX) em 1:37. Leo entrou na fase seguinte e imobilizou Liester Cardona (CUB), enquanto o pernambucano precisou de 55 segundos para aplicar um Ippon contra Francisco Balanta (COL).

Na semi, Kayo e Leonardo sofreram dois Wasa-aris em pouco mais de 2 minutos de luta, contra Thomas Briceño (CHI) e Shady Elnahas (CAN), respectivamente. Assim, ambos foram para as decisões do bronze. Leonardo enfrentou Francisco Balanta e perdeu com um Wasa-ari. Kayo entrou com tudo contra Liester Cardona e conseguiu o Ippon com 22 segundos de luta, para garantir o pódio.

També veio bronze no +78kg. Beatriz Souza venceu Katherine Quevedo (CHI) nas oitavas, com um 2º Wasa-ari após 1:46. Mas o cruzamento a colocou no caminho da quatro vezes medalhista olímpica Idalys Ortíz (CUB) e a brasileira perdeu com 3 Shidos. Assim, ela foi para a repescagem e conseguiu dois Wasa-aris sobre Yuliana Bolívar (PER). Na disputa do bronze, Bia conseguiu um Ippon contra Amarantha Urdaneta (VEN) e garantiu a medalha.

No +100kg, Rafael Silva, o Baby precisou de 1:11 para vencer Luis Amezquista (VEN) com um  Ippon. Mas ele cruzou com o campeão mundial Andy Granda (CUB) e sofreu um Ippon no fim da luta das quartas de final. Na repescagem, vitória brasileira, com Ippon sobre Sergio de Sol (MEX). Com isso, ele também foi à decisão do bronze e conseguiu um Ippon cobre Marc Deschênes (CAN).

Judoca Rafael Silva, o Baby, nos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023
Rafael Silva teve azar no cruzamento, mas garantiu pódio – Gaspar Nóbrega/COB

O judô nos Jogos Pan-Americanos

A campanha brasileira em Santiago 2023 teve bons resultados. No 1º dia, foram quatro ouros e dois bronzes, conseguindo medalhas com todos os judocas que entraram no tatame. Depois, no domingo, mais dois ouros, uma prata e um bronze. A disputa ainda segue nesta terça-feira, com as equipes mistas

O Brasil é um dos países mais tradicionais do judô nos Jogos Pan-Americanos e teve uma boa largada nesta edição. Até Lima 2019, os brasileiros somaram 40 ouros, 36 pratas e 58 bronzes nas disputas. Na edição passada, foram quatro ouros, uma prata e quatro bronzes, números já superados tanto em ouros, quanto no total de medalhas.

Judoca Beatriz Souza em luta dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023
Anderson Neves/CBJ

Mais notícias e informações quentinhas sobre o Pan-Americano e outros esportes você vê no Jogo Hoje

COMPARTILHE

Bombando em Outros esportes

1

Outros esportes

Tênis: João Fonseca vence chileno, avança às quartas e faz história no Rio Open

2

Outros esportes

F1: equipes iniciam pré-temporada com testes no Bahrein

3

Outros esportes

NBA: LeBron James revela que aposentadoria “está chegando”

4

Outros esportes

F1 e FIA se posicionam sobre caso Horner, chefe da RBR investigado por ‘conduta imprópria’

5

Outros esportes

Liga das Nações de Vôlei terá 18 seleções a partir de 2025