Outros esportes

Atletismo: Darlan Romani brilha e Brasil leva dois ouros e duas pratas em dia de histórias curiosas no Pan

Brasil lidera quadro de medalhas do atletismo, com sete ouros e 17 pódios O Brasil subiu ao ponto mais alto […]

Darlan Romani no atletismo dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023

Wagner do Carmo/CBAt

Brasil lidera quadro de medalhas do atletismo, com sete ouros e 17 pódios

O Brasil subiu ao ponto mais alto do pódio do atletismo duas vezes nesta sexta-feira (3). No penúltimo dia de pista e campo nos Jogos Pan-Americanos de Santiago, ouros para Marlene Ewellyn, nos 400m com barreiras, e Darlan Romani, no arremesso do peso. Isso além de prata para Matheus Lima, também nos 400m, e para Almir dos Santos, no salto triplo.

Mas o dia foi marcado por histórias. Danielzinho estava entre os favoritos dos 10.000m, mas não conseguiu participar da prova porque não chegou a tempo ao Estádio Nacional do Chile. Marlene, por sua vez, teria sido prata e só comemorou o ouro mais de 2h depois, quando uma panamenha foi desclassificada por infringir uma regra da prova.

Marlene Ewellyn com bandeira do Brasil no atletismo dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023
Marlene Ewellyn foi ouro nos 400m com barreiras – Alexandre Loureiro/COB

As finais de pista no atletismo

A 1ª prova que rendeu ouro terminou 2h antes da confirmação da medalha. Nos 400m com barreiras, Marlene Ewellyn chegou em 2º, com 57.18s. Mas a panamenha Gianna Woodruff, que tinha ganho, foi desclassificada por empurrar uma barreira, algo proibido na prova. Assim, a brasileira herdou o ouro, seguida por Daniela Rojas (57.41s), da Costa Rica, e Michelle Smith (57.53s), das Ilhas Virgens. Chayenne Pereira sentiu e não completou a prova.

A disputa masculina também rendeu medalha. O cearense Matheus Lima completou a prova em 49.69s e garantiu a prata para o Brasil, meio segundo depois de Jaheel Hyde, da Jamaica. O bronze foi de Yoao Illas, de Cuba, que cruzou em 49.74s. Márcio Soares, o outro brasileiro na disputa, chegou em 7º, com 50.80s.

Não tivemos Brasil nos 1.500m. O ouro foi da venezuelana Joselyn Brea, que completou o quilômetro e meio em 4:11.80, seis segundos mais rápida que a cubana Daily Cooper. O pódio foi completo pelos Estados Unidos, com Emily Mackay, com 4:12.02.

Matheus Lima no atletismo dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023
Matheus Lima conquistou 2ª medalha do Brasil nos 400m com barreiras – Alexandre Loureiro/COB

Preso no trânsito

Os 10.000m renderam uma das histórias mais inesperadas para o Brasil em Santiago. Maratonista olímpico, Daniel do Nascimento, o Danielzinho, chegaria entre os favoritos para a prova, mas ele se atrasou para pegar o ônibus para o Estádio Nacional do Chile, ficou preso no trânsito e acabou desclassificado por não chegar a tempo do aquecimento.

Assim, sem presença brasileira, a prova correu normalmente, com dobradinha para os Estados Unidos: ouro para Isai Rodriguez (28:17.84) e prata para Samuel Chelanga (29:01.21). O bronze ficou para o guatemalteco Alberto Gonzalez, que compete sem a bandeira do seu país, e cruzou em 29:12.24.

Maratonista Daniel do Nascimento em prova do Mundial do Atletismo 2022
Danielzinho não chegou a tempo da prova – Carol Coelho/CBAt

As finais de campo no atletismo

Um dos maiores destaques do atletismo brasileiro confirmou o favoritismo. No arremesso do peso, o catarinense Darlan Romani arremessou para 21.36m e garantiu o bicampeonato na 5ª das seis tentativas. O pódio foi completo pelo mexicano Uziel Muñoz, com 21.15., e Jordan Geist (EUA), com 20.53m. Além do Sr. Incrível, o Brasil também foi representado por Wellington Morais, o Maranhão, que terminou em 5º, com 20.26m.

O pódio não veio no salto em altura masculino. O pódio, na verdade, foi todo caribenho, com ouro para Cuba, com Luis Enrique Zaias (2.27m), prata para Porto Rico, com Luis Joel Castro (2.24m), e bronze para Bahamas, com Donald Thomas (2.24m). Fernando Carvalho ficou em 5º, com 2.21m, 3cm a mais que Thiago Moura, que fechou em 9º.

No lançamento do dardo, o Brasil também parou no 5º lugar, com a paraibana Jucilene de Lima (59.04m), que não repetiu o pódio de Lima 2019. Falando em pódio, medalhas para a colombiana Flor Ruiz (63.10m), muito à frente de Rhema Otabor (60.54m), de Bahamas, e de Madelyn Harris (60.03m), dos EUA.

A última final do dia também rendeu pódio para o Brasil. No salto triplo, Almir dos Santos já tinha a marca para a prata no último salto, mas ainda conseguiu melhorar. Assim, ele fechou com 16.92m. O ouro e o bronze foram de Cuba: 17.19m para Lázaro Martínez e 16.66m para Cristian Nápoles.

Darlan Romani com bandeira do Brasil no atletismo dos Jogos Pan-Americanos Santiago 2023
Campeão no atletismo de Lima 2019, o Romani foi bicampeão pan-americano – Alexandre Loureiro/COB

As semifinais do atletismo

Na disputa dos 800m, a gaúcha Jaqueline Weber conseguiu um bom desempenho logo na 1ª bateria do atletismo nesta sexta-feira e garantiu a classificação para a final com o 2º melhor tempo geral: 2:04.12. Ela foi 1.25s mais lenta que a cubana Rose Mary Almanza.

Entre os homens, a vaga na decisão não veio. Leandro Alves ficou em 3º na sua bateria, enquanto Eduardo Ribeiro foi o 5º. Essa é foi 1ª semifinal com todos os brasileiros eliminados no atletismo desde Pan-Americano. A melhor marca foi do panamenho Chamar Chambers, com 1:46.99. As finais, tanto no masculino, quanto no feminino, serão na noite deste sábado.

 

Mais notícias e informações quentinhas sobre o Pan-Americano e outros esportes você vê no Jogo Hoje

COMPARTILHE

Bombando em Outros esportes

1

Outros esportes

F1: na Ferrari a partir de 2025, Lewis Hamilton quer repetir trabalho de diversidade feito na Mercedes

2

Outros esportes

Tênis: João Fonseca vence chileno, avança às quartas e faz história no Rio Open

3

Outros esportes

F1: equipes iniciam pré-temporada com testes no Bahrein

4

Outros esportes

NBA: LeBron James revela que aposentadoria “está chegando”

5

Outros esportes

F1 e FIA se posicionam sobre caso Horner, chefe da RBR investigado por ‘conduta imprópria’